Músicas preferidas

Loading...

quarta-feira, 4 de maio de 2011

48 Anos

Essa é uma história, onde vai contar parte da minha vida!

Uma história que começou há 48 anos atrás, quando eu tinha apenas 4 aninhos de idade. 
Foi quando comecei a aprender a escrever minhas primeiras letrinhas, com minha primeira professora, que se chamava Maria de Lourdes França Marinho.
Não vou duvidar que ela tenha sido uma das pessoas mais importantes na fase da minha educação, mas sim, a mais importante.

Eu nessa época, muito levado, danado mesmo, daqueles moleques... Mas também, carinhoso, meloso, chameguento, grudento, como meu filho mais novo, Marco Antônio, genéticamente a mesma merda!kkkk

Mas quando aprendi a ler as primeiras frases, minha querida professora, as vezes áspera, rígida! Me colocava ao lado da mesa dela para ler para todos os coleguinhas de turma, e eu o fazia! Mas sendo que, ao acabar de ler o texto no qual ela escolhia, eu acabava sentado e agarrado no colo dela, abraçando-a e beijando-a.
Talvez carência...
Mas acho que não!
Foi Amor a primeira vista, sentido na forma com que ela me tratava... Com carinho, respeito, dignidade e muito Amor, sempre!

Daí, se fundiu mais do que uma relação de professora e aluno. Como se funde o ouro e o cobre pelo ourives, para que haja liga, para assim, os dois metais se fundirem e virar uma jóia de 18k. E foi isso que ocorreu entre eu e minha primeira professora! "Nos fundimos", onde me tornei mais um dos seus filhos! E olha que ela já tinha quatro: Luiz Eduardo, o mais velho; José Augusto... Esse parecia uma hiena, não por parecer exatamente com o lado feroz do animal, mas sim, por viver a vida a sorrir o tempo todo. E naquela época, como éramos pobres, não de passar fome, mas pobres. Mas comiamos bem todos dias, pois plantávamos em nossos terrenos, e tinhámos criações. E José Augusto vendia cocadas que mãe preta fazia, uma delícia! Mas não era por ser só gostosa a cocada, que José Augusto vendia, todas em apenas alguns minutos, mas sim, pelo seu sorriso de senvergonhice, era demais! Mas pelo jeito descarado e alegre com que chegava na casa dos amigos oferecendo seu produto, no caso a cocada!... Depois de José Augusto, vinha Maria Cristina, da minha idade, implicante, ela era comigo! Talvez ciúmes,por mãe preta me tratar com tanto carinho e  Amor! Mas eu nem ligava pra ela, não estava nem aí! 
Por último, Paulo Cesar, no qual eu até hoje o chamo de Paulinho, meu irmão mais novo... éramos unha e carne, em fazer merda então, nossa! Temos histórias juntos pra contar! Mas eu era o mais merdeiro dos dois, pois aprontava mesmo!
  Paulinho à direita, Gabriel meu filhote e Antônio filho do Paulinho

Mas durante os 3 anos que estudei com mãe preta, foi uma das maiores dádivas que Deus me deu na vida, não só pela ótima professora que tive, mas por me consagrar com mais uma família, mais uma mãe e novos irmãos, que até hoje, 48 anos depois, firmamos essa amizade, esse amor em algo mais do que especial, uma magia! Apesar deles estarem hoje morando em Brasília, desde o fim da década de 60, mas nem esses 1200km fez com que esse amor se perdesse.
Foi mágico mesmo, essas lições de ternura, amizade, harmonia, carinho e amor, que durante todo esse tempo,construímos, num firmamento de respeito mútuo.
Deus me abençoou, ao me conceder tal pessoa em minha vida! Uma  pessoa que plantou valores, forjou conceitos, onde me orgulho de ser o homem que sou hoje.
Tem um ditado muito antigo, onde diz! Deus coloca na Terra, Anjos para que façam o bem, semeiem amor, onde torne parte do mundo, em algo melhor! E essa, foi uma das pessoas que ele colocou aqui, nesse planeta onde chamamos de Terra, para semear e plantar o Amor para muitos.

Ah!!
Além dos quatro filhos e, Euzinho que ela adotou lá atrás, lembram-se? Ela bem mais tarde, adotou uma menina, Sandrinha, minha mais nova Irmã, não de sangue ou, nada daquela história de genética. Mas sim, irmã de coração. Hoje formada em Arquitetura e casada com o Brunão... Brunão mesmo! Pois o cara é um gigante! Mas gente da melhor qualidade!

                               Sandrinha e Mãe Preta

Portanto!

Essa foi uma das melhores coisas que aconteceram na minha vida, onde Deus me concedeu essa pessoa, que a chamo carinhosamente de mãe preta, que hoje, faz 80 anos.

Quero desejar-lhe o parabéns mais gostoso do mundo, que hoje, você tenha mais do que alegrias em sua vida, que sei foram muitas, mas que tenha em seu coração, o Amor, que sei que todos tem por você, pois quem a conhece, se apaixona na hora!

Essa é a forma de dizer que te Amo, minha mãe preta, apesar de querer estar aí agora pra te dar um abraço, beijá-la e te desejar pessoalmente, um Feliz Aniversário.

Essa é a minha Mãe Preta, linda não?

            Uma gata de 80 anos, não é pra quem quer não, é pra quem pode!


Com todo carinho e Amor que tenho por ti.

Do seu filho branco que te Ama muito


Marcio