Músicas preferidas

Loading...

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Garotinho e Garotinha.. Jovens Delinquentes.

Delinquentes Juvenis, mas os dois são tão velhos pra isso!!

Garotinho e Garotinha... Que dupla dinâmica assustadora..

                             Morzinho! Eu não aguento mais isso!

                  calma Morzão! Temos muita grana ainda escondida!
Temos as coisas sobre controle ainda.. Acho Eu!

O ministro Marcelo Ribeiro, do TSE, negou recurso de Anthony Garotinho que tentava reverter decisão anterior que lhe deixou inelegível. O tribunal não aceitou a ação cautelar ajuizada pelo defesa de Garotinho contra sentença do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro que no final do mês passado tornou-o inapto para concorrer ao governo do Rio em outubro.
Marcelo Ribeiro não concedeu liminar a Garotinho com o argumento de que, na próxima segunda, o TRE do Rio vai analisar o último recurso contra sua condenação por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação.
Processo da Comissão das Representações, Reclamações e Pedidos de Resposta
previstos na Res. TSE nº 23.193/09.

SESSÃO ORDINÁRIA:
1-Embargos de Declaração no Agravo Regimental na REPRESENTAÇÃO Nº 20-
08.2010.6.19.0000
RELATOR: DESEMBARGADOR ANTONIO JAYME BOENTE
EMBARGANTE : ANTHONY WILLIAM GAROTINHO MATHEUS DE OLIVEIRA
ADVOGADOS : Bianca Cruz de Carvalho e outros
EMBARGADO : MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL

da Reportagem Local

O TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro) multou e, R$ 5.000 o ex-governador Anthony Garotinho (PR) por propaganda antecipada. A multa também foi aplicada ao deputado federal Geraldo Pudim (PR-RJ), aliado de Garotinho.

O motivo da multa foi a veiculação da propaganda "Volta Garotinho" em site na internet no primeiro semestre de 2009.

Para Silvana Batini, do Ministério Público Eleitoral, o site tinha "claro propósito de arregimentar eleitores, expondo razões pelas quais as pessoas deveriam votar no político".


Será que vamos ter menos dois Canalhas Juvenis nas Eleições de 2010...

Que Deus seja Louvado por mais essa conquista nossa!!

Teitei, mas não Levei. Bem! Mas levei antes.kkkkkkkk

 
Tentou atrvés de liminar, ter sua cassação por voto secreto, mas mesmo assim dançou...

Velha Safada, Ordinária, CafaJeste... E agora Fofa, o que fazer?kkkkkkkk
                        O POVO oRDINÁRIO ESSE, MAS EU ME VINGAREI!

QUER SABER! O MEU EU JÁ LEVEI, E TEM MUITA GENTA QUE COME NAs MINHAS MÃOS...KKK

 Por 16 votos a favor e 3 contra, a Câmara Legislativa do Distrito Federal cassou ontem o mandato da deputada afastada Eurides Brito (PMDB), sob a alegação de quebra de decoro parlamentar. Três deputados se abstiveram, um não votou (declarou-se impedido) e outro não compareceu.
Eurides é suspeita de envolvimento no chamado "mensalão do DEM", escândalo político que atingiu a cúpula do Executivo local, levou à prisão do ex-governador José Roberto Arruda (ex-DEM, sem partido) e trouxe a ameaça de intervenção federal sobre Brasília.
Eurides foi a primeira parlamentar cassada após a revelação do esquema investigado pela Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal. O ex-presidente da Câmara Legislativa Leonardo Prudente (sem partido), flagrado colocando dinheiro na meia, e Júnior Brunelli (PSC), que protagonizou com Prudente a "oração da propina", renunciaram.
A peemedebista estava afastada do cargo desde maio, por decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF). Preferiu enfrentar as investigações da Comissão de Ética da Câmara (CCJ), cujos integrantes entenderam, por unanimidade, que ela quebrou o decoro parlamentar e devia, portanto, perder o mandato.
Sua "coragem" chegou a ser elogiada pelo petista Cícero Rola, que pediu o voto de todos os parlamentares, inclusive o de Eurides, no dia em que a Câmara se reuniu para escolher o novo governador do DF - eleição vencida por Rogério Rosso (PMDB) em 17 de abril.
Flagrada em vídeo colocando maços de dinheiro em uma bolsa, Eurides - o que a tornou conhecida como a "deputada da bolsa" - deu depoimento a um jornal local alegando que a origem do pagamento era o ex-governador Joaquim Roriz (PSC), que, na época da gravação, preparava campanha para o Senado pelo PMDB. A assessoria de Roriz nega.
Defesa. Para o advogado de defesa de Eurides, Jackson Domênico, a deputada não poderia perder o mandato por uma irregularidade que teria sido cometida antes de tomar posse.
Fonte: Estadão

BEM!
ENTÃO O ADVOGADINHO QUIS DIZER O SEGUINTE....
ELA PODERIA TER ROUBADO ANTES ENTÃO!

ESSA É A REALIDADE DO NOSSO JUDICIÁRIO JURISPRUDENTE.

O CAUS E VERGONHOSO.