Músicas preferidas

Loading...

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Eleições 2010, e mais um Trem da Alegria, Arquitetado pelos nossos Magistrados, Pobres e Famigerados...

Ministros do STJ e STF formam Trem da alegria em época de Campanha Eleitoral....
           Precisamos Urgente desse aumeto, caros Amigos...

                   Ou Arquitetamos agora, ou será tarde demais!
 

                   Não podemos continuar com essas migalhas!
        Isso é um afronto, diante do posto que exercemos!!

 Mas e o Povo, o que vãi achar disso tudo?

O Povo que se exploda, ás eleições estão aí, e vamos ganhar mesmo, pois são idiotas, manipulados por nós mesmos...kkkk

Nossos Ilustres Magistrados, não satisfeitos com seus salários minguados, exigem que seus salários sejam aumentados ainda esse ano. Os mesmos ganham uma miséria de R$26.700,00, fora todos os benefícios maléficos que são atribuídos ao seus soldos, nada estravagante, não acham?
Mas eles, acham pouco o que ganham, e querem mais, uma aumentinho, onde eleva seus salários para 31.600,00... Nada mal, não acham?

Mas o pior disso tudo é, que mesmo com salários como esses, nossos queridíssímos e Ilustres magistrados, não faz juz ao sálários bem pagos que ganham, pois não passam de paus mandados, obstruindo e, atropelando a Constituíção, deixando o Povo nesse arasmos que vemos, ano a ano.

Viva o Trem da alegria dos Três poderes, onde se denominam de independentes, mas que na verdade, uns lavam as mãos dos outros.... Mãos Sujas, é claro!
Veremos sim, um rombo ainda maior nos cofres do INSS, causado pelo abuso desses aumentos, que vem em cascata para todas as instânncias do funcionalismo Público, em todas as esferas, municipais, estaduais e Federal.

Mais uma tramóia bem articulada, em plena época de campanha Eleitotal


É legal esse pleito de aumento, em época de campanha Eleitoral?


Bem!!


O que é legal nesse Pais?


Nada!

2 comentários:

  1. OLÁ.
    O Perverso É sem dúvida alguma é o grande líder da atualidade, não tem nenhum receio ou pudor para incrementar sua vaidade pessoal ou narcisismo, a despeito do sofrimento alheio; é um orgulho fazer do mundo um palco ou museu 24 horas para expor suas perversões ou manias, sem nenhum senso crítico ou sentimento de culpa, o que vale é seu direito individualista para o gozo pessoal, independentemente se causará ou dano ao outro. O perverso institui um tribunal de exceção, por não conseguir trabalhar a frustração, não admite em hipótese alguma perdas ou rejeições, é um ultraje alguém lhe impor regras ou limites, já que a coletividade segundo seu pensamento lhe é devedora eterna. O perverso capitaliza na plenitude sua falta ou castração segundo os conceitos da psicanálise, não lhe é possível nenhum interdito, qualquer experiência tem de estar direcionado ao seu gozo íntimo, o outro deverá acatar com parcimônia sua posição de escravo referente ao desejo do mesmo, não pode haver protesto ou rebelião, o perverso é o fundador de um estado totalitário no campo sexual e afetivo, sua tirania não é a aniquilação do outro, mas a completa subserviência perante seus desejos. O perverso se acha o pioneiro e o mais criativo na arte do gozo, tem a certeza de uma criatividade única nesse terreno, não aceita competidores apenas pessoas que possam incrementar suas crenças fantasiosas. Ele é único, um resquício de uma monarquia no terreno sexual, engrandecendo sua soberba e egoísmo citados. É seu direito ser único na arte de transgredir, rechaçar o amor em nome de uma eterna experimentação de gozos. A sociedade é seu laboratório para a masturbação.O perverso não deixa de ser um fronteiriço entre a neurose e psicose, vive a primeira em suas relações profissionais, e a segunda na sexualidade, não apenas por causa da falta de limites, mas pela absoluta frieza que passa para seus parceiros. Outra analogia a fazer é com o drogado que se queixa do seu problema, procura muitas vezes o tratamento com a plena certeza de que jamais largará seu vício, no máximo deseja obter um mínimo de controle, e esta é exatamente a contradição dos dois tipos, criaram um plano inconsciente onde jamais pode haver tal controle ou interdito. É mais do que evidente dizer que falar em cura nesses casos é pouquíssimo provável, o que sempre lançou um desafio enorme para a psicologia e psiquiatria, como lidar com esse tipo psicológico. O que me espanta é que nunca houve um estudo de caso longo, ou seja, como um perverso de 30 anos atrás se posiciona hoje quando arrefeceu seu instinto sexual? Percebam como seria útil a observação clínica de um caso desse tipo, houve sublimação com o tempo, após a derrocada da sexualidade, se instalou a profunda depressão, houve tentativas se suicídio, toda a energia foi talvez transportada para o lado material? O perverso cresceu na cauda da decadência do lado político e social de nossa sociedade moderna, não deixa de ser um grande espelho da mesma, o que vale é uma satisfação imediata e narcísica sem o menor compromisso sentimental ou afetivo, a palavra mais distante do dicionário do perverso é o amor.
    OBRIGADA
    FIQUE COM DEUS.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir