Músicas preferidas

Loading...

domingo, 11 de abril de 2010

Tragédia no Rio.. Sinismo e Politicagem.

Descaso total dos nossos Políticos Cariocas...



Tudo se vê e nada se faz ao longo dos anos pelos nossos Políticos que comandam as Prefeituras e o Governo do Estado Rio.
Vamos as afirmações insistentes dos nossos governantes, em afirmar que Favela é Bairro, como o programa inicialmente do Ex Prefeito Cesar Maia "O Favela Bairro", depois, na gestão do Conde, se deu na mesmíssima insistencia. Volta Cesar Maia e, continua com tamanha ignorância, em dizer, afirmar que, Favela é Bairro.
Uma favela, como podemos ver nos noticiários dos últimos dias, não pode ser considerado um bairro, pois falta toda a infraestrutura para que:
1- A Defesa Civil chegue rapidamente ao local para prestar o mínimo de assistência às pessoas vitimadas pela tragédia que ocorreu na cidade do Rio de Janeiro nos últimos dias.
2- O mesmo ocorre com os nossos Brilhantes e Corajosos Oficiais do Corpo de Bombeiros. Diante dessa falta de estrutura, das Favelas, insistentemente chamados de Bairros, não tiveram as mínimas condições de chegarem ao local com rapidez.
3- Ambulâncias, Máquinas e equipamentos... Tudo isso com um atrazo de mais de cinco horas, não puderam servir a populaçao ali soterrada, colocando as vítimas e seus parentes sobreviventes, no desespero, vendo a vida ser levada pela imprudência dos nossos Governantes, em afirmar que 'Favela é Bairro".

Quantos Bilhões de Reais foram gastos nesse Programa Idiota "No Favela Bairro" nos últimos 20 anos de governo dos nossos Prefeitos megalomaníacos?

Quantas casas foram construídas durante esses 20 anos?

Quantas Favelas foram extinguidas nesse mesmo período?

Essa é a mentalidade medíocre dos nossos Prefeitos e Governadores, que foram para Copenhague torcer para que o Rio fosse a sede das Olimpiadas de 2016. Gastaram uma fortuna, levando uma comitiva de mais de 50 pessoas. Vibraram, torceram e, ganharam o troféu máximo de poder sediar os tão sonhados Jogos Olímpicos aqui no Rio de Janeiro.
Só esqueceram que, os bairristas Favelados, permaneciam lá, em locais desumanos e de alto risco a cada chuva que se abatia sobre a cidade.
Sergio Cabral chorou aos prantos pela perda dos
Royalties do Petróleo, mas não vimos nenhuma sensibilização dele quanto aos mortos famigerados dos morros cariocas e Niteoí.
Vimos sim, ele, Sergio Cabral, fazendo média, de ir ao  local da tragédia, mas não como Governador Sério, que irá resolver os problemas das famílias vitimadas, mas sim, de usar a tragédia como palanque político paras às Eleições de 2010.
O preifeito de Niteroí, Roberto Silveira, há mais de 20 anos no comando da Politicagem junto a Prefeitura, sabia sim, dos problemas existentes no Morro do Bumba, mas com cara de inocente, de incompetente, disse não saber dos problemas ali existentes.
Que Raio de Prefeito é esse, que administra a cidade por mais de quatro mandatos, e não tem noção, idéia dos problemas existentes em sua própria cidade.

Cenário Urbano...
A carência habitacional está no centro do nosso problema urbano na medida em que, em razão da exclusão de grande parte da população do mercado imobiliário formal, a “solução” do chamado déficit habitacional tem sido a inserção marginal na cidade. Prevalece a lógica perversa, produtora da maior parte dos chamados problemas urbanos: quem está fora do mercado somente tem acesso à moradia à margem da cidade! A nossa urbanização, em conseqüência, é caracterizada pelo permanente e crescente descompasso entre o lento crescimento das cidades e a veloz expansão das suas margens. A urbanização expressa, assim, mais fortemente o processo de des-ruralização da sociedade do que a generalização da forma urbana de vida. Como podemos chamar a isso de urbanização quando o crescimento das nossas cidades se realiza centralmente pelo aumento do número de moradias que não atendem aos padrões mínimos de habitabilidade que tornam possível a vida em aglomerados urbanos?

Palanque Político...

O Rio na década de 80 tinha aproximadamente 35 Favelas. Hoje passam de 1050.

Essa foi a mentalidade Política adotada para se eleger na cidade do Rio de Janeiro, pois quanto maior a miséria favelista, maior a quantidade de votos, vistos em promessas em campanhas Eleitoreiras, onde seus canditadios incentivaram o aumento das Favelas, com doações de material de construção... Da invasão indevida de áreas particulares e públicas. Com isso, vemos hoje, uma Cidade sitiada, cercada de favelas por todos os lados... Empresas antes existentes no Rio, hoje tomadas, invadidas com autorização e participação do poder Público. Muitas delas fracionadas, loteadas por milícias, gerando o caus que assistimos hoje.

Essa é a Política Habitacional que nosso governantes adotaram para a cidade nos últimos anos..
Mas o Pior disso tudo foi que, ninguém, nenhum Orgão, como o nosso Ministério Público e nosso Judiciário, foi  contra esse crime Organizado. Foram passivos e coniventes...

Os Bilhões gastos no tal Favela Bairro, se fossem gastos em contruções descentes, moradias onde, houvesse infraestrutura mínima: Hospitais, escolas, delegacias, orgãos como, a Defesa Civil e Corpo de Bombeiros, onde pudessem ter acesso rápido no caso de uma tragédia como essa que ocorreu no Rio. Com certeza não teriamos tantos óbitos como tivemos nos últimos dias aqui na cidade do Rio de Janeiro.

2 comentários:

  1. Nossa, que cruel comparação de choro. Pois na verdade o que diz se vamos chorar ou não é nosso corpo, nossa estado emocional no momento. Nós não sabemos o que Cabral estava passando naquele momento, como ele estava se sentindo...Crueldade do autor...

    ResponderExcluir
  2. Desculpe Nina!!

    Mas talvez você não conheça realmente a performace dos nossos Políticos.
    Mas quando postei o comentário, quis mostrar que antes da tragédia ocorrida nos últimos dias no Rio, nossos governates não se importaram em nenhum momento com as tantas áreas de risco que há anos existe na cidade e, que ano após ano desmoronam sobre as cabeças dos pobres coitados.
    Chorar pela perda dos royalties, como fez nosso Ilustre Governador, não demostra um momento de comoção menor do que, a morte de centenas de pessoas, já sacrificadas pelas condições de vida em que viviam, sem que o poder público, omisso, não tomasse nenhuma providência para mudar tal situação.
    Estamos falando de vidas humanas... Crianças de apenas 8 meses de idade, 2 anos, 6 anos, 8 anos, 10 anos, famílias inteiras.
    Não sei se você é moradora do Rio, mas se não for, nos faça uma visita, pois vai ver e sentir na pele o que é degradação Humana.
    Enquanto isso, nossos governantes torcendo pelos jogos de 2014 e 2016.. Sorrindo com as fortunas de bilhões de reais que vão entrar nos cofres públicos nos anos que se seguem.

    Desde já, agradeço pelo seu comentário

    Marcio RJ

    ResponderExcluir