Músicas preferidas

Loading...

segunda-feira, 14 de junho de 2010

A Eterna Sensualidade de uma Mulher...

Conflitos Conflitantes...

Vai, portanto, não hesites. Procura conquistar todas as mulheres. Em mil, haverá talvez uma para te resistir. E quer cedam, quer resistam, todas gostam de ser cortejadas. Mesmo se fores derrotado, a derrota será sem perigo. Mas por que serias repelido, já que toda volúpia nova parece mais gostosa e somos mais seduzidos por aquilo que não nos pertence? A colheita é sempre mais abundante no campo alheio, e o rebanho do vizinho tem as tetas mais grossas.   (Ovídio – Sec I a.C)       
           Esta frase foi escrita por Ovídio no seu livro “A arte de Amar” no século I a.C. Este livro levou Ovídio a ser expulso de Roma pelo imperador Augusto, uma vez que promovia o amor extraconjugal, algo intolerável para um governo que valorizava a família e os bons costumes.  Apesar de ser um livro muito antigo, suas idéias ainda permanecem atuais, pois a natureza humana não se modificou de lá para cá. O homem sempre foi um ser sexual e a mulher sempre foi um ser afetivo. Mas por que isso sempre foi assim? Por que o homem é um animal tão devotado ao sexo e a mulher aos sentimentos? Numa primeira análise, somos levados a crer que esses impulsos são naturais. Mas numa análise mais atenta, percebemos que esses impulsos foram determinados historicamente.    O homem não é somente um ser biológico determinado pela natureza, mas também é determinado historicamente pelas práticas sociais. A sexualidade e a reprodução são características imanentes no ser humano, assim como a função da alimentação; no entanto, o amor transcende a mera reprodução e sexualidade. O amor não surge como algo pronto e acabado, mas sim se desenvolve historicamente. Tal é a hipótese que tentaremos demonstrar.
           Tornou-se comum pensar que o amor surge na espécie através da atração sexual. Ele seria um sentimento inconsciente que a espécie usou para se reproduzir. Contudo, o amor não pode ser definido apenas como desejo sexual. Do nosso ponto de vista, o amor não tem por fim a sexualidade e a reprodução.  A reprodução teve um papel fundamental na criação do amor na espécie humana; todavia, em sua evolução ele transcendeu a mera sexualidade.
    A psicologia e a psicanálise sempre partiram do pressuposto de que os acontecimentos da infância deixam marcas profundas na estruturação da personalidade. Esse postulado nos faz pensar a infância da humanidade. Essa infância deixou marcas indeléveis na natureza humana e determinou as diferenças entre os homens e a mulheres. Para entendermos a relação amorosa em nossos dias, devemos buscar uma resposta nos primórdios da humanidade, quando o homem era ainda um antropóide.  A resposta para entendermos a origem do sentimento do amor se encontra numa época onde o homem ainda não se diferenciava da natureza. Os impulsos animais ainda não haviam se transformados em impulsos humanos. O nosso argumento parte de pressuposto que há traços mnemônicos de épocas passadas que ressoa em nós. O passado da humanidade permanece determinando nossas ações, nossos sins e nãos, nossas escolhas e necessidades.  
       Foi longo o processo que formou o amor ao sexo oposto, foram necessários muitos estímulos repetitivos para que o desejo se tornasse nivelado. Hoje o homem ama com os olhos e a mulher com os ouvidos. O homem é atraído quando olha uma bela forma, um corpo bem definido, uma beleza estonteante. Já a mulher é atraída por uma boa conversa, pelo cavalheirismo, pela delicadeza e pelos bons modos.  O homem é mais visual, suas emoções, desejos estão ligadas ao olhar. Já a mulher é auditiva, com uma simples frase ela pode ser conquistada. Já dizia o filósofo alemão Nietzsche, “lançou uma frase no ar, como diversão, e essa frase fez cair uma mulher”.   O homem é como um beija-flor, quer copular todas as flores e a mulher é como uma árvore, quer criar raízes e um abrigo para seus pássaros. Mas como será que surgiram estes dois impulsos básicos no homem e na mulher?
Fonte: Michel Aires de Souza

8 comentários:

  1. Brasil Desnudo,
    O amor transcende a sexualidade.
    Sentimento inconsciente.
    Hoje o homem ama com os olhos e a mulher com os ouvidos.
    Será?
    O que vale é a sensualidade, o "dom" da sedução.
    Muito bom...
    Luciana

    ResponderExcluir
  2. Hola, asi como hay imagenes bellas tu blog muestra mucha realidad del mundo actual, hambre pobreza extrema parece mentira que haya gente que vive como animales, me gusto tu blog y el titulo muy sugestivo, un placer visitarte.
    besitos para ti

    ResponderExcluir
  3. interesante tu blog ya te sigo ...un abrazo Marina
    "Espigas del alma"

    ResponderExcluir
  4. Olá amigo Bom dia!!!! Obrigada por ter ido visitar meu cantinho, tb gistei do seu, estou te seguindo!

    Homem x mulher, são questões tão antigas e cada vez mais agregando novos questionamentos, pois sempre estamos evoluindo, mas na transição sempre há muita confusão, situações e conceitos distorcidos, mas é apenas transição, logo as coisas chegam numa harmonia, até que esta se torne inconssitente e o caos volta a comandar.

    Sobre este tema, postei "Sexo, amor e curiosidades" 03/05/2010, caso queira dar uma lida.

    Também gosto Bryan Adams!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. bom dia!
    adorei a leitura.
    o que vale mesmo é a conquista.
    bjos.
    passa la em minha casa.
    bjos com carinho

    ResponderExcluir
  6. OI MEU QUERIDO.COMO É BOM SENTIR ESSA SUA SENSIBILIDADE E MAESTREZA NO QUE DIZ.VC SEMPRE UM CONHECEDOR DA ALMA FEMININA A QUAL NEM MESMO NÓS CONHECEMOS,PARABÉNS PELAS ABORDAGENS TÃO EXPRESWSIVAS E INTELIGENTES EM ASSUNTOS TÃO DIVERSOS, MAS QUE FAZEM PARTE DO NOSSO COTIDIANO.MINHA ADMIRAÇÃO POR VC CONTINUA INTACTA. ESPERO SEMPRE PODER PARAR EM SUA PÁGINA E VER RELATADO TUDO O QUE PENSA E PORQUE NÃO DIZER, NOS INFORMAR SEMPRE.BJS E QUE DEUS CONTINUE A TE ILUMINAR.
    FÁTIMA ALVES

    ResponderExcluir
  7. Gostei imenso de conhecer este blogue.
    Aqui em directo de Portugal tornei-se seguidor do seu blogue. Convidava-o a si e a todos os seus amigos bloguistas a visitar o meu blogue e a tornarem-se seguidores no link:
    http://centroparoquialgondar.blogspot.com/
    Conto convosco lá nos seguidores.
    Até breve!
    Ricardo Pinto

    ResponderExcluir
  8. Estou desenvolvendo meu tcc de filosofia com o tema "o mito da liberdade da mulher contemporânea, uma releitura da obra filosófica de Simone de Beauvoir", ela tem duas obras, O SEGUNDO SEXO, que abragem muito bem o tema...Pena que livros como este não são reeditados, tenho que baixar da net aos poucos (são aproximadamente 900 páginas)Bjo

    ResponderExcluir